Spring Brasil no ar, Grails Brasil e o poder das comunidades

Ontem colocamos no ar o Spring Brasil, que é um portal/fórum voltado para a comunidade de desenvolvedores que trabalham com o framework e todas as tecnologias relacionadas. O objetivo é em parte o mesmo que me motivou 9 anos atrás a criar o Grails Brasil: ajudar a divulgar estas tecnologias e aprender mais a respeito no processo.

Mas há uma diferença: Spring, ao contrário do Grails naquela época (e mesmo hoje) não precisa de gente que o divulgue pois já é há um bom tempo (mais de uma década provavelmente) o framework mais popular entre desenvolvedores Java. Então: pra quê este esforço?

Por que comunidades importam

Por um tempo pensei que o Stack Overflow fosse matar todos os fórums voltados a desenvolvimento da internet. Em parte matou, entretanto, apesar do sucesso estrondoso eu, pelo menos, nunca criei elos com outros participantes do site tais como os que criei no GUJ ou Grails Brasil.

O fórum ainda é vital, principalmente os quebra-paus

O foco no Stack Overflow e sites de Q&A é outro: resolver problemas de forma direta e não discutir. Por isto tantas perguntas que acho extremamente relevantes são travadas por moderadores (como esta). Isto sempre me incomodou (e muito). É a limitação do formato “Q&A”. Você está lá para ter uma solução do problema, não necessariamente para refletir a respeito e, mais importante, se aprofundar nele, e por isto, confesso, sempre desprezei o formato e não o segui no Grails Brasil, tal como tentaram fazer no GUJ.

Acredito no poder da discórdia. Pode não parecer, mas minha discussão favorita no Grails Brasil, sabe qual é? Esta: “Grails é horrível“. Seria fácil como mantenedor do site apagar o post, bloquear os membros (bloqueei um sujeito que fez flood, mas só por isto) e censurar o conteúdo dizendo se tratar de uma briga tola.

(não gosto daqueles que concordam com tudo e confesso curtir ver o circo pegando fogo)

Entretanto, se você ler a discussão inteira irá notar que aprendemos muito nela. É por isto que no Grails Brasil (e agora também no Spring Brasil) não temos moderadores no fórum. Confesso que não gosto desta figura: cria duas classes de pessoas quando deveria haver só uma: o participante que quer aprender ou ajudar os outros.

(há moderadores no Grails Brasil e Spring Brasil: eles cuidam apenas da aprovação de notícias para evitar spam, mas nunca houve uma notícia que não tivesse sido aceita nestes 9 anos)

E o mais interessante destas longas conversas é que elas costumam criar elos. Muitos dos clientes da itexto hoje surgiram destas discussões no GUJ e Grails Brasil. Sendo assim, não há como negar o aspecto socializador da coisa.

E os trolls?

E os trolls, como lidar com eles? Bom, nestes 38 anos algo que aprendi foi que você tem das pessoas o que espera delas. Se criarmos uma comunidade esperando o pior dos outros, teremos isto como retorno. Se é uma comunidade, pessoas normais se auto gerenciam, não precisam de tutores.

E se o troll aparecer? Ah, aí a gente lida com ele, mas existem mecanismos no próprio fórum que o evitam. Quer um exemplo? A impossibilidade de editar perguntas ou respostas que muitos reclamaram comigo nestes anos (talvez mude um pouco, mas muito pouco, em um futuro próximo). Por que você não pode editar ou excluir este conteúdo? Simples: para garantir a honestidade intelectual do diálogo.

Nestes 9 anos de Grails Brasil, quantos trolls tivemos? Um. Talvez por a comunidade ser muito menor que as demais, entretanto, creio que o mesmo se repetirá no Spring Brasil ou qualquer outra comunidade que venhamos a lançar no futuro.

Por que boa parte do ecossistema Spring é desconhecida

Esta é outra boa razão: o Spring Framework (e agora o Spring Boot) são muito bem conhecidos na nossa comunidade. Entretanto, conversando com o pessoal observo que, tirando estes projetos, o único conhecido de fato é o Spring Security.

E há uma enorme quantidade de projetos que podemos discutir e nos aprofundar nesta comunidade: basta ver a página dos projetos no spring.io. Então há muito o que aprender, e isto me empolga bastante!

Coisas que estão por vir

 

No sábado colocamos no ar o primeiro release do Spring Brasil que contém as mesmas funcionalidades presentes no Grails Brasil (é o mesmo código fonte, porém com algumas melhorias). Em um futuro próximo queremos melhorar incluindo algumas novidades:

  • Publicação de vagas de emprego
  • Melhoria no portólio pessoal dos membros para que possam expor seus trabalhos e currículo
  • Divulgação de eventos
  • Criação de uma nova newsletter, tal como a Semana Groovy
  • E, claro, o que for sugerido pelos membros da comunidade

Eventualmente todas estas mudanças irão voltar para o Groovy e Grails Brasil pois, como disse, é o mesmo código-fonte.

E nove anos depois…

Nove anos depois vamos fomentar mais comunidades, primeiro com o Spring Brasil, depois com outras que sabemos ser importantes na comunidade de desenvolvimento nacional.

Conto com a participação de vocês nesta nova jornada: espero fazer um número de amigos e parceiros tão grande quanto foi realizado com o Grails Brasil.

Link para a comunidade: http://www.springbrasil.com.br

Para se registrar, acesse este link: http://springbrasil.com.br/membro/registro . É possível se conectar usando Facebook (mais redes sociais estão a caminho), sendo assim o processo de entrada fica muito mais fácil (algo que devia ter feito no Grails Brasil anos atrás).

Conto com vocês!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *